este é o meu bloco de notas numa aventura asiática

terça-feira, março 08, 2005

kyoto

Em Kyoto passeia-se pela rua e tropeça-se em templos em cada esquina... “Nem penses em vê-los todos... São cerca de 3 mil!” avisam-me... Nahh, já estou há 5 meses no japão, já estou overtempled mesmo antes de chegar a kyoto.
Lembro-me que no primeiro mês até o templo do subúrbio onde vivia me arrancava expressões de espanto. Agora sinto um bocado been there done that. Os guias arrastam-nos para todos, “para ver kyoto como deve ser pelo menos 7 dias”, um é o maior templo zen, o outro é dourado, aquele é a maior estrutura de madeira do mundo, todos são diferentes e todos são iguais.
Por isso não me interessa ver todos, mesmo que fosse possível, mas aproveitar cada um que visito... o Kyomizu Dera, na encosta com um palco para observar a Lua Cheia construído sobre uma impressionante estrutura de madeira. Passear pelas ruas de higashyama, seguir gueishas, encontrar jardins escondidos. O Heian Shrine onde a Scarlett Johansson andou aos pulinhos nas pedras do lago...

Kyoto foi fundada no século VII e em 794 passou a ser a capital do país. A sua organização urbana em grelha seguiu o modelo das cidades chinesas da altura. Com a Restauração Meiji (1868) deixou de ser a capital oficial do país e a família imperial mudou-se para Tokyo. Mas já desde o século IX que a família Imperial era cada vez mais afastada dos círculos do poder e o país era governado pelos Shoguns, líderes militares. Kyoto era oficialmente a capital imperial e centro cultural mas as decisões políticas eram decididas noutro lado. A partir de 1600 o centro político do japão era Tokyo, na altura Edo (só se veio a chamar Tokyo - Capital do Este - com a Restauração Meiji).
Mas mesmo sem poder político era em Kyoto o centro cultural, religioso e económico e alberga hoje 17 Monumentos Património Mundial da Unesco.
Passeando pelas ruas de Kyoto não há muita distinção doutra cidade japonesa, os mesmos neons, karaoke e conveniences stores. A diferença é que, a qualquer momento, podemos fugir para um templo, refúgios de paz e beleza protegidos por grandes muros. Em Kyoto podemos descansar das cidades japonesas.

1 Comments:

Anonymous daniela said...

será muito pedir para ires colocando mais fotos... please!!

12:38 da manhã

 

Enviar um comentário

<< Home